Veja as nossas ofertas exclusivas | Envio gratuito para encomendas superiores a 75€

Estimulador Muscular para ajudar a melhorar o funcionamento e a recuperação

Compex Runner

 

Prepara a musculatura, actua eficazmente contra a dor ou lesões e recupera de uma forma óptima.

El Compex Runner é o seu melhor aliado.

SKU
518416LE-pt-eur
299,99 €
Venda 0% Fora Gravar 0,00 €

Este produto está coberto pela nossa garantia Compex de 2 anos. Registre seu produto aqui por mais 1 ano.

MI, ESTIMULAÇÃO PERSONALIZADA

ADAPTADA A CADA FISIOLOGIA

Equipados com a exclusiva tecnologia MI (Inteligência Muscular), os estimuladores Compex adaptam-se a cada um dos seus músculos para proporcionar a eletroestimulação mais eficaz, oferecendo sempre o maior conforto e o melhor desempenho.

COMO FUNCIONA A TECNOLOGIA MI

MI-SCAN

Analisa o músculo e regula automaticamente os parâmetros do estimulador de acordo com a sua fisiologia. Categorias e programas.

MI-TENS

Facilita o ajuste dos níveis de estimulação no caso de programas destinados ao alívio da dor. Esta configuração só está disponível nos programas TENS, Epicondilite e Tendinite.

MI-RANGE

Indica o nível ótimo de estimulação a utilizar no programas de Capilarização, Dor Muscular, Recuperação e Massagem

COMPEX RUNNER

CATEGORIAS E PROGRAMAS

Preparação Física

Resistência aeróbica, Resistência, Resistência específica do trilho, Cinta pélvica, Optimização a longo prazo, Sobrecompensação, Fartlek

Recuperação/Massagem:

Recuperação activa, Recuperação de exercício intenso, Redução da rigidez

Anti-dolor

Tendinite aguda, Tendinite crónica, Dores de costas, Tornozelo torcido, Descontraturante

Prevenção:

Prevenção de entorse de tornozelo, Prevenção de cãibras, Prevenção de dores lombares, Prevenção de dores lombares

Produto Perguntas

Ainda não há perguntas. Seja o primeiro a fazer a pergunta!
  • Electroestimulador
  • Conjunto de 4 cabos Snap
  • Cabo MI-Sensor
  • Carregador
  • 4 electrodos 5x10 cm
  • 4 electrodos 5x5 cm
  • Saco de transporte
  • Manual de instruções

Cómo Utilizar

Posição corporal durante a estimulação

Esta posição varia de acordo com o grupo muscular que deseja estimular e com o programa que estiver a utilizar.

Em programas que induzem poderosas contrações musculares (contrações tetânicas), recomenda-se estimular o músculo de modo isométrico. Deve portanto segurar as extremidades dos músculos estimulados. Esta posição opõe a máxima resistência ao movimento e evita qualquer encurtamento do músculo durante a contração, que poderia causar cãibras. Assim, ao estimular o quadríceps, por exemplo, o utilizador teria de estar numa posição sentada com os tornozelos agarrados para evitar estender os joelhos.

Para outros tipos de programas que não induzem poderosas contrações musculares, mas apenas fasciculação ou formigueiro, o utilizador tem de se posicionar como se apresenta na ilustração, mantendo uma posição confortável.

Regular a intensidade da estimulação

O número de fibras usadas num músculo estimulado depende da intensidade da estimulação.
Em programas que induzem poderosas contrações musculares (contrações tetânicas), o ideal é utilizar as máximas intensidades de estimulação (até 999), permanecendo no entanto dentro do limiar de tolerância, para utilizar o máximo número de fibras. O progresso de um músculo será tanto maior como o número de fibras trabalhadas. Por este motivo, durante uma sessão, é importante tentar aumentar a intensidade depois de 3 ou 5 contrações.
Para outros tipos de programas, como os de recuperação, massagem, capilarização ou mesmo dores musculares, que apenas induzem fasciculação, o utilizador tem de aumentar gradualmente a intensidade de estimulação até obter uma fasciculação claramente visível.
Para os programas de TENS, epicondilite e tendinite, o utilizador tem de aumentar gradualmente a intensidade até sentir uma sensação de formigueiro debaixo dos elétrodos.

Programação das sessões de estimulação

A questão da programação das sessões de estimulação ao longo da semana só é relevante em situações em que se realizem pelo menos duas sessões de treino na mesma semana.

Se se realizar até cinco sessões por semana, recomenda-se que estas sejam programadas com o maior intervalo possível entre si. Por exemplo, um utilizador que realize três sessões por semana teria de as realizar com uma frequência de uma sessão cada dois dias (evitando sempre realizar sessões em dias consecutivos). Os utilizadores que realizarem seis sessões por semana terão de realizar seis dias consecutivos de estimulação com um dia de descanso.

Se se pretender realizar mais de sete sessões por semana, recomenda-se agrupar diversas sessões no mesmo dia para deixar um ou dois dias inteiros sem estimulação durante a semana. Os utilizadores que realizarem sete sessões por semana teriam de realizar cinco dias de estimulação com uma sessão por dia, e um dia com duas sessões (com um intervalo mínimo de meia hora de descanso entre cada sessão), deixando um dia de descanso. Os utilizadores que realizarem dez sessões por semana teriam, preferentemente, de realizar cinco dias de duas sessões (com um intervalo mínimo de meia hora de descanso entre cada sessão), deixando dois dias de descanso.

Alternância de sessões de eletroestimulação e treino voluntário

As sessões de eletroestimulação podem ser realizadas fora ou durante o treino voluntário.

Quando se realiza treino voluntário e eletroestimulação durante a mesma sessão, é geralmente recomendável realizar o treino voluntário primeiro, seguido pela eletroestimulação. Isto significa que o treino voluntário não é realizado em fibras musculares que já se encontram cansadas. Esta precaução é especialmente importante para os treinos de força e força explosiva.

No entanto, no treino de resistência, pode ser muito útil seguir a ordem inversa. Antes do treino voluntário, realizar uma sessão específica pré-fadiga nas fibras musculares, sem qualquer fadiga geral e cardiovascular, através da eletroestimulação para a resistência. Desta forma, o esforço voluntário das fibras “preparadas” aumentará a velocidade e a quantidade do metabolismo glicolítico.

Progressão dos ciclos de eletroestimulação

Os ciclos de estimulação são para pessoas que já estão habitadas à eletroestimulação e desejam realizar diversos ciclos de treino.

A lógica dos ciclos está relacionada com a carga de trabalho realizada pela eletroestimulação. Como num exercício normal, o utilizador tem de começar com um determinado esforço e ir aumentando-o ao longo dos ciclos. Assim, recomenda-se começar com o primeiro ciclo e passar para o seguinte nível quando o ciclo tiver terminado, geralmente após 4 ou 6 semanas de eletroestimulação à base de 3 sessões por semana.

Também é importante obter intensidades de estimulação significativas nas sessões antes de começar outro ciclo. No final de cada ciclo, o utilizador pode começar um novo ciclo ou realizar treino de manutenção à base de uma sessão por semana.

Vídeo instrutivo