COMPEX FIT 1.0

Modela o corpo, tonifica os abdominais e alivia a dor.
O eletroestimulador para os praticantes de fitness e pessoas saudáveis que praticam desporto 1 ou 2 vezes por semana
O Compex FIT 1.0 da nova gama Compex oferece a última tecnologia em eletroestimulação muscular para desempenhos desportivos melhorados.
Em stock
SKU
2533116-pt-eur
Special Price 139,30 € Regular Price 199,00 €
Venda 30% Fora Gravar 59,70 €

AUMENTAR O SEU DESEMPENHO*

AUMENTAR O SEU DESEMPENHO CON 

COMPEX

*Saber mais Estudos Clínicos.

COMPEX FIT 1.0

Categorias e programas

Fitness

Fortalecimento dos Quadríceps, Fortalecimento dos Bíceps, Desenvolvimento dos Abdominais, Desenvolvimento dos peitorais, Reafirmação dos braços, Tonificação das Coxas, Reafirmação do Estômago, Modelagem das Nádegas

Gestão da Dor

Gestão da Dor TENS

Recuperação/Massagem

Massagem Relaxante

Escreva a sua própria avaliação
Está a avaliar:COMPEX FIT 1.0
A sua classificação

Não será mostrado no site

I agree to the terms & conditions by clicking the submit review button
  • Estimulador
  • Conjunto de 4 cabos
  • Carregador
  • 2 saco de elétrodos 5x10 cm
  • 2 saco de elétrodos 5x5 cm
  • Estojo de transporte
  • Manual de Instruções
TECNOLOGÍA: Cabos
MUSCLE INTELLIGENCE: Não
LIGAÇÃO À INTERNET: Não
OBJETIVO DESCARREGÁVEL: Não
CARREGAMENTO REMOTO DE HISTÓRICO: Não
CATEGORIAS DE PROGRAMA: Fitness, Aliviar a Dor, Recuperação/Massagem
NÚMERO DE PROGRAMAS: 10
NÚMERO DE CANAIS: 4
ECRÃ: Matricial monocromático
ALIMENTAÇÃO: 120 mA, 400 us, 150 Hz
FONTE: Bateria recarregável em menos de 4,5 horas

Instruções

  • Quick start guide
  • IFU
  • Como usar (FAQ)

    Posição corporal durante a estimulação

    Esta posição varia de acordo com o grupo muscular que deseja estimular e com o programa que estiver a utilizar.

    Em programas que induzem poderosas contrações musculares (contrações tetânicas), recomenda-se estimular o músculo de modo isométrico. Deve portanto segurar as extremidades dos músculos estimulados. Esta posição opõe a máxima resistência ao movimento e evita qualquer encurtamento do músculo durante a contração, que poderia causar cãibras. Assim, ao estimular o quadríceps, por exemplo, o utilizador teria de estar numa posição sentada com os tornozelos agarrados para evitar estender os joelhos.

    Para outros tipos de programas que não induzem poderosas contrações musculares, mas apenas fasciculação ou formigueiro, o utilizador tem de se posicionar como se apresenta na ilustração, mantendo uma posição confortável.

    Regular a intensidade da estimulação

    O número de fibras usadas num músculo estimulado depende da intensidade da estimulação.
    Em programas que induzem poderosas contrações musculares (contrações tetânicas), o ideal é utilizar as máximas intensidades de estimulação (até 999), permanecendo no entanto dentro do limiar de tolerância, para utilizar o máximo número de fibras. O progresso de um músculo será tanto maior como o número de fibras trabalhadas. Por este motivo, durante uma sessão, é importante tentar aumentar a intensidade depois de 3 ou 5 contrações.
    Para outros tipos de programas, como os de recuperação, massagem, capilarização ou mesmo dores musculares, que apenas induzem fasciculação, o utilizador tem de aumentar gradualmente a intensidade de estimulação até obter uma fasciculação claramente visível.
    Para os programas de TENS, epicondilite e tendinite, o utilizador tem de aumentar gradualmente a intensidade até sentir uma sensação de formigueiro debaixo dos elétrodos.

    Programação das sessões de estimulação

    A questão da programação das sessões de estimulação ao longo da semana só é relevante em situações em que se realizem pelo menos duas sessões de treino na mesma semana.

    Se se realizar até cinco sessões por semana, recomenda-se que estas sejam programadas com o maior intervalo possível entre si. Por exemplo, um utilizador que realize três sessões por semana teria de as realizar com uma frequência de uma sessão cada dois dias (evitando sempre realizar sessões em dias consecutivos). Os utilizadores que realizarem seis sessões por semana terão de realizar seis dias consecutivos de estimulação com um dia de descanso.

    Se se pretender realizar mais de sete sessões por semana, recomenda-se agrupar diversas sessões no mesmo dia para deixar um ou dois dias inteiros sem estimulação durante a semana. Os utilizadores que realizarem sete sessões por semana teriam de realizar cinco dias de estimulação com uma sessão por dia, e um dia com duas sessões (com um intervalo mínimo de meia hora de descanso entre cada sessão), deixando um dia de descanso. Os utilizadores que realizarem dez sessões por semana teriam, preferentemente, de realizar cinco dias de duas sessões (com um intervalo mínimo de meia hora de descanso entre cada sessão), deixando dois dias de descanso.

    Alternância de sessões de eletroestimulação e treino voluntário

    As sessões de eletroestimulação podem ser realizadas fora ou durante o treino voluntário.

    Quando se realiza treino voluntário e eletroestimulação durante a mesma sessão, é geralmente recomendável realizar o treino voluntário primeiro, seguido pela eletroestimulação. Isto significa que o treino voluntário não é realizado em fibras musculares que já se encontram cansadas. Esta precaução é especialmente importante para os treinos de força e força explosiva.

    No entanto, no treino de resistência, pode ser muito útil seguir a ordem inversa. Antes do treino voluntário, realizar uma sessão específica pré-fadiga nas fibras musculares, sem qualquer fadiga geral e cardiovascular, através da eletroestimulação para a resistência. Desta forma, o esforço voluntário das fibras “preparadas” aumentará a velocidade e a quantidade do metabolismo glicolítico.

    Progressão dos ciclos de eletroestimulação

    Os ciclos de estimulação são para pessoas que já estão habitadas à eletroestimulação e desejam realizar diversos ciclos de treino.

    A lógica dos ciclos está relacionada com a carga de trabalho realizada pela eletroestimulação. Como num exercício normal, o utilizador tem de começar com um determinado esforço e ir aumentando-o ao longo dos ciclos. Assim, recomenda-se começar com o primeiro ciclo e passar para o seguinte nível quando o ciclo tiver terminado, geralmente após 4 ou 6 semanas de eletroestimulação à base de 3 sessões por semana.

    Também é importante obter intensidades de estimulação significativas nas sessões antes de começar outro ciclo. No final de cada ciclo, o utilizador pode começar um novo ciclo ou realizar treino de manutenção à base de uma sessão por semana.

    Vídeo Instrutivo